Restrição no uso de telas (TV, Tabletes e Celulares)

Provavelmente você já deve ter visto uma cena como a que iremos exemplificar a seguir.

Imagine que você está na rua e vê uma criança chorando, fazendo birra e similares. E logo em seguida percebe que a criança parou de chorar porque o pai ou a mãe lhe ofereceu o telefone celular.

Isso é bem comum, não é mesmo? e muito provavelmente você já deve ter feito isso ou ter visto alguém bem próximo fazendo.

Mas você já parou para refletir a respeito dessa atitude dos adultos e responsáveis legais do quão prejudicial ela pode ser à criança, principalmente se considerarmos que a mesma está em um processo de desenvolvimento?

Antes da obrigatoriedade do isolamento social, já era comum ver crianças utilizando as telas em excesso, no entanto, o que antes era muito, com o isolamento social essa dependência somente teve reforços
.
Agora, com o fim do isolamento social, por mais difícil que possa ser, o ato de desvincular da rotina o uso de telas, é fundamental que limites sejam estabelecidos.

Devido a relevância do assunto para a saúde dos nossos pequenos, o artigo de hoje é: o consumo excessivo de telas por crianças e como fazer para reduzir essa dependência.

Então continue a leitura até o final!                                                               

Impacto do excesso de telas para as crianças

Provavelmente você já deve ter reparado quanto tempo o seu filho passa na frente das telas, seja do celular, computador, tablets, ou assistindo televisão. Mas você já refletiu sobre a sua influência no tempo gasto nessas telas?

De fato, ter a criança na frente de alguma tela traz muita praticidade para a vida dos pais, pois é extremamente eficaz em prender a atenção dos pequenos.

No entanto, possibilitar que crianças fiquem excessivamente na frente das telas desproporciona que desenvolvam habilidades com outras ações, ou até mesmo que desenvolvam uma nova habilidade.

Em conformidade com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a liberação de telas para os pequenos apenas poderia acontecer após os 2 anos de vida, no entanto, de forma extremamente limitada.

Mais do que isso, a OMS ainda estabelece quais são os impactos que permitir o consumo excessivo de telas implicará na vida das crianças, principalmente no que tange ao seu desenvolvimento. Confira!

  1. Obesidade;
  2. Má qualidade do sono;
  3. Redução do desenvolvimento de novas habilidades;
  4. Problemas de autoestima;
  5. Fácil irritação;
  6. Sedentarismo;
  7. Problemas físicos posturais;
  8. Redução do convívio social;
  9. Déficit de atenção, entre outros.

Viu como pode ser negativo para a criança o consumo excessivo de televisões tabletes e celulares?

 

 Como reduzir o consumo de telas?

Os pais ou responsáveis ​​legais precisam ter atenção redobrada e ficar atentos ao tempo gasto pelo pequeno quanto ao consumo excessivo de telas.

Nesse sentido, vale a pena determinar regras de uso, como não usar aparelhos durante as refeições e desligá-los duas ou três horas antes de dormir.

Além disso, pais ou responsáveis ​​legais devem incentivar as crianças e adolescentes a se envolverem mais em atividades que não envolvam o uso da tecnologia.

Tente evitar que as crianças usem TV, computador ou celular no próprio quarto, principalmente sem a supervisão da família ou de um adulto.

Agende um horário para seu pequeno assistir TV ou brincar com o telefone também é uma excelente alternativa.  E seja firme! Não mude de ideia para que os limites fiquem extremamente claros.

Por fim, converse abertamente com sua filha ou filho sobre os riscos à saúde do uso do consumo excessivo de telas, pois nada melhor do que conversar e ser ouvido por quem você confia e respeita.

E finalmente dê o exemplo! Fique longe das telas o máximo possível e passe mais tempo com sua família.

Até mais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *